Povoados e Distritos « Mundo Novo – Bahia

"...uma poesia nas quebradas do sertão..."
(Wilson Aragão)

This movie requires Flash Player 9

Povoados e Distritos


A divisão Administrativa de Mundo Novo

Por Dante de Lima

O município brasileiro é dividido em distritos. O distrito onde se
localiza a cidade, sede do município, denomina-se Distrito sede. Os demais
povoados são denominados Distritos, tendo a sua sede o foro de Vila. O
Distrito é sede de juizado de paz. É esse fato que faz com que se distinga o
distrito dos demais povoados. Pela nossa Constituição é da competência do
Município a criação, supressão e organização dos distritos, obedecida a
legislação estadual (C.F. art.30, inc. IV).

O Município de Mundo Novo está dividido, além do Distrito sede, em três
Distritos e nove povoados. São eles: Ibiaporã (criado em 11.08.1931), Indaí
(criado em 05.01.1933) e Alto Bonito (criado em 19.08.1935). Povoados:
Umbuzeiro, Barra de Mundo Novo, Cobé, Canjerana, Jequitibá, Engenho de Água Branca, Eucalipto, Santo Antonio e Palmeiral.

A História de Alto Bonito nos é contada pelos alunos Uane, Leonice,
Jéssica, Débora, Bethânia, Patrícia e Sidney, através dos seguintes versos
em cordel:

E aí galera preste atenção,
Vamos falar de Alto Bonito,
Com muita empolgação,
Eu vou falar de lá
Você fala daqui,
Preste atenção, que eu não vou repetir

N fazenda muito grande
Um elo foi criado
A peste foi chegando
Quase mata todo o gado
Fazendeiros e sua família
Também foram afetados

A família não agüentou
Fazendeiro apelou
Sant´Ana nos proteja
Também nossa criação
Uma capela eu farei
Se estendei-me a tua mão

Fazendeiro desesperado
A promessa ela cumpriu
Pegou algumas terras
E logo dividiu
Para o povo que
Chegar moradia fixar

A peste foi embora
Fazendeiro assim cumpriu
Construiu uma capela
A paz ali fluiu

Muita gente foi chegando
Alto Bonito assim surgiu.

Também no mesmo estilo, os alunos Danila, Gilson, Joseane  Ruas, Maiara,
e Nairam Taise nos contam a História de Umbuzeiro:

Vou contar a história
De um simples povoado
Pertencente a Mundo Novo
No semi-árido é localizado
Terra do povo trabalhador
Nosso lugar amado

Onde hoje é Umbuzeiro
Existia uma encruzilhada
As estradas de vários povoados
Ali se encontrava
No meio de todas elas
Nosso povoado se localizava

Eram terras da Fazenda Umbuzeiro
A Dona Olímpia pertencente
Era uma grande fazenda,
Bonita e muito interessante
E na década de trinta foi vendida
Para um homem importante

João José de Almeida
Um pedaço da fazenda comprou
Onde se localizava a encruzilhada
E com carinho ele pensou
Em uma venda fazer
Então seu sonho montou

Logo depois da venda
Ele construiu a primeira moradia
Com o pensamento voltado
Em construir um salão um dia
Povoar aquele lugar
Era o que ele queria

Senhor João planejou
Um povoado formar
Para que Umbuzeiro crescesse
E muita gente aqui morar
E quem fosse embora
Aqui sempre quisesse voltar

Então Umbuzeiro cresceu
Sua População aumentou
Em um povoado lindo
Ele se transformou
Com esse crescimento
Aquela pequena fazenda se
Transformou

Vou terminando esse cordel
Espero que tenha gostado
Desta linda história
Do nosso pequeno povoado
Que aos poucos vem crescendo
E é por todos respeitado.

Já a História do Cobé nos é contada, também em versos, por um grupo de
alunos da 4ª série da Escola Municipal Mundo da Alegria, sob a orientação da
professora Vanuza:

O Senhor José de Aquilino
Homem de muita fé
Que nos contou a história
Do futebol do Cobé

No ano de 1958
Foi quando tudo começou
Por iniciativa de Dário
Tio de Lindonor

Tudo era organizado
Com o dinheiro
Arrecadado por Dário
Nas festas do povoado

Um fato muito importante
Que chamou atenção
As festas eram organizadas
Com sanfoneiros da região

Oito componentes forma
Este belo grupinho
Caé, Custódio, Chico e Reizinho
Nelson, Pedro, Badinho e Joãozinho

Depois da saída
De Dário para Brasília
O Senhor Abelardo
Continuou o trabalho

José além de jogador
É um colaborador
Com a sua história
O futebol marcou

Desde seis anos de idade
Seu José acredita
Que o futebol
É um esporte de verdade

Jogava com seus amigos
Com uma bola de meia
Cheia de retalhos de tecido
O jogo era divertido

No ano de 1960
Foi para Brasília
Em busca de trabalho
Deixando a família

Durante sua estadia
Sonhava todo dia
Ser do futebol campeão
Esporte do coração

O futebol é muito bom
A saudade era demais
Abandonar a família
É coisa que ninguém faz

Mais seis meses depois
Ele voltou
E a sua luta
Pelo esporte continuou

No início o campo era particular
A vontade do povo participar
Era tão grande
Que chegava para ajudar

Para a felicidade da comunidade
O prefeito Peixoto
Comprou o terreno de Baianinho
Onde hoje é o campinho

A regra no campo
Era mais respeitada
E hoje as pessoas
Agem como retardadas

No campo foi construído
Arquibancadas
Para todas as pessoas
Assistirem sentadas

O futebol no Cobé
Era tão importante
Mesmo não sobrando bancos
A presença do povo era constante

Pois tudo acontecia
Em perfeita harmonia
Embora tivesse confusão
Tudo acabava em união

Com times de outros locais
O Cobé também jogava
Palmeira, Bode, Umbuzeiro…
Campeonatos disputava

Na época o futebol
Além de diversão
Trazia renda
Para toda população

Antes a grana
Não era tão importante
O troféu era feito
Com jaca e cana

O jogo era bonito e divertido
Porque o povo tinha respeito
Os jogadores unidos
Formavam um grupo perfeito

Hoje tudo é diferente
Não há mais organização
A violência é constante
Tudo termina em confusão

Para resgatar a paz e alegria
José pensa em um dia
Formar um time de adolescentes
E ensinar as regras de antigamente

Aqui termina o nosso relato
E esperamos que de fato
O nosso recado
Tenha ficado

Futebol sem violência
Ainda é uma carência
Que precisa com urgência
Ser superado.


Notícias

Ver todas


contato@mundonovoba.com.br | www.mundonovoba.com.br
2010 © Mundo Novo Ba | Utilizando CMS:Wordpress
Produzido por: Ivo Chaves
Agência Digital ZWA - Salvador - Bahia